Explicamos, em linguagem didática, o significado de diversos termos relacionados ao câncer, de A a Z.

A

É um método ou procedimento da FDA que distribui medicações ainda em processo de aprovação para pacientes que não responderam aos tratamentos disponíveis ou não são elegíveis para participarem de protocolos de Pesquisa Clínica.

A área circular ao redor do mamilo da mama. A aréola é tipicamente mais escura que o resto da mama.

Um tipo de biópsia no qual as células são retiradas de um nódulo utilizando-se uma seringa e agulha. As células são analisadas sob um microscópio para verificar a presença de células cancerosas.

Exame da mama que procura alterações. Qualquer alteração deve ser levada à atenção de um médico ou enfermeiro.

B

Não canceroso.

Procedimento em que um pedaço de tecido é retirado e examinado sob o microscópio.

Retirada de um pedaço de tecido usando uma agulha. O tecido é examinado sob um microscópio para verificar a presença de células cancerosas. O paciente recebe anestesia local antes de uma biópsia com agulha grossa.

Procedimento simples, realizado para determinar a presença de células cancerosas no linfonodo sentinela, o primeiro a ser atingido se o câncer se disseminar a partir da mama.

Cirurgia para retirar um tumor ou nódulo. O tumor ou nódulo é cortado em finas camadas, analisadas sob um microscópio para verificar a presença de células cancerosas.

Biópsia que utiliza raio X e  uma agulha para localizar o tecido a ser retirado. O radiologista faz uma radiografia da mama e coloca uma agulha fina no centro da área suspeita. O cirurgião, então, retira a agulha e o tecido ao redor. O tecido é examinado sob um microscópio, para verificar a presença de células cancerosas.

Um dos grupos de tratamento de um estudo randomizado chama-se “braço”. A maioria dos estudos randomizados tem “dois braços”. Por exemplo, o braço que toma a medicação do estudo e o braço que toma a medicação padrão.

C

Depósitos de cálcio na mama. Calcificações podem ser benignas ou malignas.

Nome dado a um grupo de doenças em que células anormais se dividem descontroladamente.

Nome dado a qualquer tipo de câncer proveniente dos ductos mamários.

Nome dado a qualquer tipo de câncer proveniente dos lóbulos mamários.

Câncer não invasivo.

Um tubo flexível é inserido em uma veia calibrosa com o objetivo de administrar medicações ou soros. Uma extremidade do tubo pode permanecer fora do corpo.

Cirurgia para reconstruir o contorno mamário.

Cirurgião especializado no tratamento do câncer.

Uma bolsa preenchida com líquido.

O período da vida da mulher quando os ovários param de produzir os hormônios estrógeno e progesterona. Um dos sinais é o término da menstruação (menopausa).

Em uma determinada circunstância, o uso de certos tratamentos pode ser prejudicial.

É o resumo dos critérios para a seleção dos pacientes para o estudo, incluindo os de inclusão e de exclusão.

São padrões médicos ou sociais que determinam se uma pessoa pode ou não participar de um estudo de Pesquisa Clínica. Estes critérios são baseados em fatores como idade, gênero, tipo e estágio da doença, história de tratamento prévio e outras condições médicas.

D

Termo usado para descrever várias condições benignas da mama.

Significa que o tumor está crescendo ou que novos tumores apareceram (com comprovação em exames de imagem).

Quando o tumor pode ser medido.

É a doença que não responde ao tratamento padrão. Alguns cânceres são refratários desde o início, pois não há tratamento conhecido como efetivo.

Dispositivos usados para retirar fluidos que se acumulam em um local de cirurgia. Drenos são geralmente deixados por um curto período, após a cirurgia. Os drenos usados após a cirurgia de mama são geralmente feitos com tubos e frascos de sucção.

Canais que carregam leite para o mamilo na mama.

E

Escala utilizada para medir o estado do paciente.

Os efeitos colaterais são ações indesejáveis causadas pela medicação ou tratamento corrente. Efeitos colaterais comuns nos tratamentos padrão são: fadiga, náusea, vômito, diminuição na contagem das células, perda de cabelo e mucosite (aftas). Novos tratamentos podem apresentar efeitos colaterais conhecidos e desconhecidos, imediatos e a médio e longo prazo. Nos estudos de Pesquisa Clínica, os efeitos colaterais são chamados de Eventos Adversos.

É a extensão do câncer dentro do corpo, avaliada por meio de exames e testes. É importante conhecer o estágio da doença, para que se possa planejar o melhor e mais adequado tratamento. Para o câncer de mama, o estadiamento é determinado pelo tamanho do tumor primário e pela presença ou ausência de células cancerosas em linfonodos ou outros locais do corpo.

Um protocolo que não é cego, no qual médico e paciente sabem o que está sendo tomado.

Neste estudo, o paciente não sabe em que lado está.

Neste tipo de estudo randomizado (sorteio) duplo-cego, o paciente e o médico não sabem em que lado do estudo o paciente está (se toma o medicamento novo ou o padrão). Normalmente, a informação é revelada no fim do estudo.

Exame feito no tecido tumoral para descobrir se um tumor é sensível ao estrógeno. O resultado ajuda a determinar se a hormonioterapia será efetiva. Também chamado de teste para receptor de estrógeno ou teste RE.

Cirurgia para a retirada de alguns dos linfonodos da axila.

F

Tumor benigno composto por tecido fibroso.

G

Na Pesquisa Clínica, é o grupo de pessoas que recebe o tratamento padrão.

É o grupo que recebe a medicação que está sendo estudada.

H

Condição na qual existe aumento anormal do número de células de um tecido.

Tratamento que utiliza medicações para bloquear a produção ou a ação do estrógeno (hormônio feminino), diminuindo assim o crescimento tumoral. Portanto, apesar de a nomenclatura sugerir que a paciente esteja utilizando medicamento que contenha hormônios, trata-se de classe de medicamento que antagoniza a ação ou impede a produção de estrógeno.

I

Crescimento para dentro de tecidos sadios com destruição. Tumores podem ser invasivos ou não invasivos.

L

Inchaço do braço e/ou da mão, causado por bloqueio da linfa após um esvaziamento linfonodal axilar.

Pequenas estruturas, localizadas em todo o corpo, que filtram e destroem bactérias e substâncias tóxicas. Os linfonodos são conectados por um sistema de vasos chamado “linfático”. Os linfonodos podem coletar células cancerosas que percorrem os vasos linfáticos.

São os linfonodos localizados nas axilas.

Glândulas produtoras de leite dentro da mama.

M

Canceroso.

Corresponde ao uso de raio X para a realização de radiografia das mamas.

Tipo de mamografia em que as imagens são conservadas em arquivos eletrônicos de computador, em vez de em filmes (radiografias).

Cirurgia para retirada da mama inteira (incluindo o mamilo) e dos linfonodos axilares. Às vezes, é chamada de “mastectomia total”, com esvaziamento linfonodal axilar.

Cirurgia para retirar o câncer e uma pequena quantidade de tecido mamário ao redor. Às vezes, o esvaziamento linfonodal axilar é realizado ao mesmo tempo. Também chamada de “mastectomia parcial”, “quadrantectomia” ou “nodulectomia”.

Cirurgia para retirar a mama inteira (incluindo o mamilo), com exceção dos linfonodos axilares.

Medicações utilizadas na hormonioterapia. Esses agentes bloqueiam os efeitos do estrógeno, um hormônio que promove o crescimento de alguns tipos de câncer.

A disseminação do câncer de uma parte para outra do corpo. Quando um câncer se dissemina para outro local, diz-se que ele metastatizou. É um segundo tumor, originado do primário. As células cancerígenas frequentemente escapam do tumor primário e fixam-se em partes distantes do corpo, como pulmão, fígado e cérebro.

Estudo que vem sendo realizado em diferentes centros ao mesmo tempo. Pode ser nacional ou internacional (no qual existem centros distribuídos pelo mundo inteiro).

N

Contido em si próprio; sem crescimento para dentro de tecidos sadios ou destruição. Tumores podem ser invasivos ou não invasivos. Às vezes, ambos os tipos de células estão presentes.

Degeneração gordurosa que resulta no desenvolvimento de nódulos sólidos e duros na mama. Necrose gordurosa é frequentemente o resultado de trauma na mama.

O

É o que o protocolo está tentando responder ou descobrir. Na essência, é a meta do protocolo. É cientificamente importante que os objetivos do protocolo sejam escolhidos e claramente definidos.

Médico especializado no tratamento do câncer, que normalmente usa medicações ou hormônios para tratar o câncer.

Substituto artificial para uma parte perdida do corpo. Muitas mulheres que realizaram mastectomia total ou radical modificada preferem usar uma órtese mamária.

P

Um crescimento, semelhante a uma verruga, no ducto mamário. Papilomas são a causa mais comum de secreções sanguinolentas pelo mamilo.

Médico que identifica doenças, analisando tecidos ou células sob um microscópio.

São pesquisas que envolvem pessoas. Cada estudo tenta responder a questões científicas e identificar a melhor maneira de prevenir determinada doença.

Um comprimido, uma cápsula ou injeção que, embora pareça com a medicação ou a substância testadas, não contém qualquer princípio ativo.

Previsão sobre o desfecho possível de uma doença.

Dispositivo que, às vezes, é usado na cirurgia reconstrutiva para criar o contorno mamário. Próteses são bolsas de silicone preenchidas por solução salina ou gel de silicone.

Plano de ação para a Pesquisa Clínica, prevê o que deve ser feito no estudo e por quê. Ele define quantos pacientes farão parte do estudo, quem serão esses pacientes, quais testes eles realizarão, com que frequência e o plano de tratamento.

Q

Tratamento de longo prazo com uma medicação antiestrógena que visa reduzir a ocorrência do câncer de mama em mulheres com alto risco.

Tratamento que usa medicações contra o câncer.

R

Médico que utiliza radiografias, ultra-som e outros métodos de imagem para auxiliar no diagnóstico.

Tratamento que usa radiação de alta energia para destruir células cancerosas.

Baixas doses de raio X são utilizadas para o diagnóstico de doenças. Altas doses da radiação, por sua vez, são usadas para tratamento do câncer. O termo é utilizado frequentemente para designar as radiografias obtidas com o raio X.

Reaparecimento do câncer. Há três tipos de recidivas: local (na posição original), regional (perto do local original) e distante (em outro local, o que corresponde à metástase).

Cirurgia reconstrutiva subsequente à mastectomia total ou radical modificada, realizada no momento da cirurgia de retirada do tumor.

Cirurgia reconstrutiva realizada ao mesmo tempo que a mastectomia total ou radical modificada.

Médico que usa radioterapia para tratar o câncer e seus sintomas.

É o processo que sorteia aleatoriamente em que grupo cada paciente vai estar. A randomização minimiza as diferenças entre os grupos e distribui pessoas com características particulares entre todos os braços do estudo.

É o processo de recrutar/selecionar pacientes para o protocolo. Considera-se “recrutamento completo” quando o número de pacientes planejado está completo. A partir daí, o estudo se encerra para novos pacientes.

Quando os sinais e sintomas do câncer desaparecem, a doença é descrita como “em remissão”, que pode ser temporária ou permanente.

Relevante diminuição no tamanho do tumor como resultado do tratamento.

Ocorre quando o câncer não é mais detectável após o tratamento. Nesse caso, o paciente pode estar curado.

Pele, músculo e outros tecidos transportados cirurgicamente, de uma parte para outra do corpo, para reconstruir uma estrutura (como a mama) retirada pelo tratamento do câncer ou por outras razões.

Tipo de câncer no olho, que ocorre em crianças.

T

É o tempo em que o paciente fica sem a detecção da doença.

Tratamento administrado em complemento à cirurgia, como radioterapia, quimioterapia ou hormonioterapia.

Tratamento para câncer em que a mama é preservada. A terapia conservadora de mama geralmente consiste em radioterapia e ressecção parcial.

Administrada antes da cirurgia para diminuir o tamanho do câncer.

Tipo de exame em que o raio X é utilizado para criar imagens transversais, de alta definição, do corpo.

Diante da constatação de um câncer que pode ser retirado por meio de cirurgia, faz-se uma quimioterapia como tratamento adjuvante, no qual o objetivo e prevenir a recorrência da doença.

É o tratamento considerado pela FDA (Food and Drug Administration) como o mais eficaz para um determinado caso.

Efeito colateral produzido por uma medicação prejudicial para a saúde do participante da pesquisa.

Crescimento anormal de células. Um tumor pode ser benigno ou maligno.

U

Uso de ondas sonoras para confirmar a presença ou ausência de tumores e diferenciar tumores sólidos e císticos.

Procedimento que possibilita a disponibilização de medicações experimentais, ainda em processo de aprovação pela FDA, para pacientes em estado grave.

V

Vírus capazes de produzir o câncer.


Av. Brasil 678   Sao Paulo   SP   CEP 01430-000   Tel. 11 3059 6000   Tel. 11 3057 0391